Hoje, é Dia Mundial das Redes Sociais e não podíamos deixar de fora esta presença tão essencial aos nossos dias. As marcas procuram cada vez mais estar associadas a experiências marcantes para o público-alvo e envolvidas com o estilo de vida de cada pessoa, para conseguirem  corresponder aos maiores desejos de cada um. O marketing de ativação através das redes sociais é uma estratégia inteligente quando a marca quer associar a sua imagem a um target específico, e exatamente onde o mesmo se encontra.

A ativação física nem sempre é suficiente para causar o impacto desejado no público-alvo. Ainda mais, quando a evolução da tecnologia e plataformas tem sido um pico constante nos últimos tempos. O que cada marca procura é aumentar os seus níveis de interação, engagement e consequentemente a divulgação. E para projetar a sua imagem, no contexto atual, vai passar pela ativação nas redes sociais.

Saiba mais sobre o marketing de ativação e o universo das redes sociais que tanto nos inspira!

O que são redes sociais?

É uma questão que à partida nos parece óbvia. Plataformas onde cada pessoa cria a sua conta e se conecta aquele espaço, interage com outros utilizadores, partilha conteúdos, cria relações de amizade… Mas estes espaços permitem muito mais do que aquilo que é visível aos utilizadores.

As redes sociais são estruturas que permitem conectar pessoas de acordo com os seus interesses, e que podem ser offline ou online. Hoje, vamos falar do marketing de ativação nas redes sociais enquanto espaços virtuais, e onde o foco de cada rede é a interação entre utilizadores. Um leque de oportunidades de ativação eficazes para as marcas.

Os estudos demonstram o “vício” em que as redes sociais se tornaram. Em média, cada pessoa passa mais de 2 horas do dia ativa nas diferentes redes sociais, e Portugal é o quinto país da União Europeia com maior taxa de utilização. São 5, as plataformas que estão no topo das preferências dos utilizadores: Facebook, Pinterest, Twitter, Instagram e Youtube, e das quais não podemos desviar a atenção.

“As redes sociais são estruturas que permitem conectar pessoas de acordo com os seus interesses, e que podem ser offline ou online.”

Falamos de Marketing de Ativação… Mas o que representa este conceito?

O grande objetivo de marketing para as marcas é o fator promocional, chegar o mais longe possível em termos de público-alvo e retorno de investimento. Neste caso, o marketing de ativação pode ser definido como uma ferramenta do marketing promocional, que as marcas utilizam de forma estratégica e aliada a um plano de comunicação.

A ativação de marca engloba campanhas publicitárias (offline ou online) e ações isoladas que possibilitam a proximidade e reconhecimento de marca junto do público. Aqui, cada consumidor é o ponto central de cada ação, onde tudo gira com foco em impactar aquela determinada pessoa. Mas como em tudo, é preciso definir estratégias e as melhores formas de ativação.

E, como é que as redes sociais possibilitam ativar marcas? É uma questão que vamos responder de seguida.

“O grande objetivo de marketing para as marcas é o fator promocional, chegar o mais longe possível em termos de público-alvo e retorno de investimento.”

A complementaridade de ferramentas e estratégias… Qual o elo de ligação e eficácia?

Agora que sabemos os conceitos e definições práticas daquilo que são as redes sociais e o marketing de ativação, vamos compreender de que forma se interligam e complementam um plano de marketing. Nada mais simples como explicar pela vertente de sentido de oportunidade. O ideal  para impactar de forma certeira o público-alvo pretendido, é a marca surgir também no momento certo. E esse momento é aquele em que o público está disposto a dar maior atenção e concentração ao que está a ver. E o porquê das redes sociais? Porque é nestes espaços que as marcas podem aproveitar melhor o tempo despendido pelos utilizadores. Para além de ser uma presença quase obrigatória de todas as pessoas, seja numa rede ou noutra, as redes sociais são os espaços onde cada pessoa passa grande parte do tempo ativo e realmente atento (cerca de 2 horas do dia). E assim, formamos o triângulo desejado de conciliar o interesse de marca, público e ativação.

No marketing de ativação a grande proposta é de entregar ao público algo de destaque, que chame a atenção. E nada melhor que ativar nas redes sociais, onde cada ação individualmente ou mesmo em campanha pode ser definida detalhadamente, tendo em conta género, idade, gostos, áreas de interesse… Nestas situações, o plano corresponde às expetativas de marca de forma mais assertiva e com um retorno sobre o investimento desejado. O lema de: investir sem desperdício mas com resultados.

“O ideal  para impactar de forma certeira o público-alvo pretendido, é a marca surgir também no momento certo.”

Como ativar através das redes sociais?

Qualquer marca pode definir o seu plano de ativação, mas não temos dúvida que, as redes sociais permitem ativar de uma forma mais eficaz, pelo que já foi explicado anteriormente. Sejam ações para um público geral, ou direcionadas a um target mais específico, as redes sociais permitem construir um forte reconhecimento de marca. Para tirar o melhor partido, é essencial estudar para que público queremos comunicar, o mercado em que está inserido, quais as ações a realizar e onde. Porque plataformas digitais há muitas, é preciso saber o melhor espaço de ativação para cada caso.

Uma das estratégias de ativação mais utilizadas pelas marcas nas redes sociais, são as ações promocionais. Sobretudo, quando procuram ser reconhecidas pelo público e despertar o interesse na marca. Descontos numa compra online e redirecionada pelas redes sociais; concursos e passatempos que incentivem à partilha; sorteios aleatórios com a participação de utilizadores; disponibilização de conteúdos ou produtos exclusivos aquela rede social; entre outros tipos de ações.

A marca Heineken, por exemplo, desenvolveu uma campanha daquilo que é interação pura no digital. Juntou pessoas com diferentes pontos de vista, desenvolveu tarefas e questões de opinião, para o debate de temas com diferentes perspetivas. Depois de cada pessoa ser confrontada com as suas próprias ideias, era convidada a tomar uma cerveja com alguém de ideologia diferente. Uma ação que se tornou viral e transmitiu a mensagem positiva #OpenYourWorld.

Já o exemplo da Domino’s, foi o sucesso no que toca a número de clientes e aumento de vendas. A marca (mesmo com reconhecimento sólido junto dos consumidores), deu vida à campanha “Domino’s Anywhere” onde permitiu, por determinado tempo, que os pedidos fossem feitos através do Facebook, Twitter e Slack. Considerou os canais de comunicação mais comuns para aumentar o seu número de clientes, pela facilidade no pedido.

Os conjuntos de anúncios, são uma outra forma de ativar o target certo pela segmentação das redes sociais. Pode ser utilizado para promover um produto/serviço, um evento, uma masterclasse, um novo podcast ou patrocínio, etc… Permite dar algo de destaque a quem acompanha a marca e não só, nas redes sociais.

A tecnologia permite transportar ações de ativação do mundo offline para o online. A criação de eventos, cursos e palestras resulta igual ou melhor ainda em redes sociais. Não há limitações de participantes. Aumentamos o nível de divulgação do evento. Permite a interação constante, e conseguimos alocar tecnologia, talentos e sentido de comunidade. Tudo isto, para trazer valor acrescentado da marca para o público-alvo.

Mas voltando um pouco atrás, é necessário estarmos bem posicionados nas redes sociais. Reconhecidos nesses espaços como uma marca que traz informação, entretenimento e experiência. E isto, faz igualmente parte da ativação de marketing. Ter conteúdo próprio, abordar temas de interesse, incentivar a novos utilizadores a fazerem parte da comunidade de marca. Ativar, é tornar o seguidor nas redes sociais em promotor da marca. E aqui, encontramos a magia da ativação de marketing.

“Porque plataformas digitais há muitas, é preciso saber o melhor espaço de ativação para cada caso.”

Mas quais as redes sociais mais indicadas ao marketing de ativação?

Esta é uma questão de resposta não concreta. É dependente do objetivo, do público, dos valores da marca, do tipo de comunicação… Mas uma coisa é certa: a carteira de redes sociais é grande para cada marca. É neste sentido que uma parceria entre marca e agência traz grandes vantagens, como um ajuste mais direto ao que é expectável. Se um Facebook ativa mais eficazmente uma marca para um target mais velho, um LinkedIn, por outro lado, vai captar e conseguir melhores resultados numa comunicação ou campanha B2B.

E justamente, estamos aqui para o ajudar a criar uma estratégia de marketing de ativação eficaz. Somos early adopters. Trazemos valências e experiência de ativação de marca do universo real para o universo digital. E é com uma visão omnichannel que atuamos para amplificar a presença da sua marca, no universo digital.

Descubra como o podemos ajudar. Fale connosco: marketshow@marketshow.pt

#socialmedia #marketingtrends #brandactivation #digitalmarketing #happybrands #marketing #happypeople #happytalents #marketshow #wemakeithappy

How interesting was this post?

Click on a smiley to rate it!

Average rating 4.7 / 5. Vote count: 3

No votes so far! Be the first to rate this post.

We are sorry that this post was not interesting for you!

Let us improve this post!

Tell us how we can improve this post?